Quem somos[email protected]

Search

Hamilton Gangana: “Samba do Crioulo Doido”, de Stanislaw Ponte Preta, hoje seria considerado racista | 4/3

Crioulo Doido

Crioulo Doido

hamilton-gangana-1-202x300-1-1.jpg
hamilton gangana

Foto de capa: Sergio/Stanislaw com as três filha – acervo da família de Sergio Porto.

 

O inesquecível escritor, jornalista, humorista e bon vivant carioca Sérgio Porto é o mesmo STANISLAW PONTE PRETA,  pseudônimo inventado para assinar suas crônicas e  livros, que fizeram grande sucesso nos anos 60 e 70, do século passado.

Os leitores devoravam aquela linguagem coloquial, com um toque  sarcástico e humor fino, que Stanislaw utilizava para abordar os fatos e  coisas absurdas que algumas pessoas falavam – e que não tinham o menor sentido – e acabavam virando  motivo de gozação na boca do povo.

De maneira jocosa e inteligente, STANISLAW  narrava as banalidades  em crônicas diárias no jornal Última Hora, depois reunidas em  edições do livro  FEBEAPÁ –  Festival de Besteira Que Assola o País.

febeap_orig-1.jpgVeja só  este  exemplo:  em Belo Horizonte, um delegado de polícia, muito preocupado com os palavrões de torcedores nos estádios, deu uma ideia de jerico: – cada torcedor teria o direito de gritar, no máximo, TRÊS PALAVRÕES.

E seria preso, caso soltasse mais algum!

Essa é  hilariante: no  lançamento da  MINI-SAIA  um delegado de costumes tentou impedir que a nova moda chegasse  em Minas  e  disse, em alto e bom  som:

“Aqui, Não!  Ninguém vai levantar a saia da mulher mineira!!!”…Em declaração aos jornais, disse que  prenderia o tal  costureiro francês Pierre Cardin, caso ele aparecesse.

Em 1966, o grupo de músicos “Demônios da Garoa” gravou o samba enredo “Samba do Crioulo Doido”, uma sátira que Stanislaw compôs em plena  ditadura militar – que obrigava os compositores carnavalescos  a tratar de temas históricos do Brasil – o que acabou em “bagunça mental”:

“Foi em Diamantina/Onde nasceu JK/Que a Princesa Leopoldina/Arresorveu se casar/Mas Chica da Silva/Tinha outros pretendentes/E obrigou a princesa/A se casar com Tiradentes”…

Hoje, essa  ideia  seria considerada racista e preconceituosa.

Outra  invenção do colunista,  que fez muito sucesso, era a  famosa  eleição  anual  de “As Certinhas dos Lalau”, uma  escolha  exclusiva dele mesmo, que selecionava beldades do show business em fotos sensuais, pouca roupa, valorizando bustos, nádegas  e  pernas.

Em pleno regime  militar, repleto de  censuras  e proibições,  Stanislaw Ponte Preta  criou os  personagens Tia Zulmira,  Primo Altamirando e  Rosamundo, e  um canal  exclusivo – o “PRETAPRESS”,  para contar os causos mais  inusitados  e  nos fazer rir até às lágrimas.

O  jornalista  Sérgio Marcos Rangel Porto, o  Stanislaw (1923-1968), natural  do  Rio de Janeiro,  foi escritor, radialista, comentarista, teatrólogo, humorista e também inspirado compositor, que, infelizmente, só produziu o “Samba do Crioulo Doido”,  música que o país  inteiro cantou e acabou entrando para a história.

Com toda  certeza, hoje  Stanislaw Ponte Preta  teria  motivos inusitados para  enriquecer suas deliciosas crônicas, como esta notícia  fresquinha  de  Belo Horizonte:

– Cachorro vítima  de maus-tratos vira diretor em Comissão da OAB em Minas Gerais.

sergio12-1-1.jpgBeethoven Fernandes Moreira, um cachorro da raça Shin-Tzu, é o novo diretor estadual da Coordenadoria aos maus tratos da Comissão da OAB e tomará posse simbólica  em fevereiro de 2023.

“Parece uma cachorrada”,  diria ele, mas é sério, os convites para a solenidade já estão distribuídos.

Mas entremos  no clima  Carnaval, com  aquele grito estiloso  de malandro dos cariocas, abrindo os desfiles da Marquês de Sapucaí:

Olha o Samba do Crioulo Doido aí, geeenteee!

Carnaval também é cultura!

Hamilton Gangana é jornalista, publicitário, radialista

Samba do Crioulo Doido

Sergio Porto

Gravação de Demônios da Garoa

Foi em Diamantina

Onde nasceu JK

Que a Princesa Leopoldina

Arresolveu se casá

Mas Chica da Silva

Tinha outros pretendentes

E obrigou a princesa

A se casar com Tiradentes

Lá iá lá iá lá ia

O bode que deu vou te contar

Lá iá lá iá lá iá

O bode que deu vou te contar

Joaquim José

Que também é

Da Silva Xavier

Queria ser dono do mundo

E se elegeu Pedro II

Das estradas de Minas

Seguiu pra São Paulo

E falou com Anchieta

O vigário dos índios

Aliou-se a Dom Pedro

E acabou com a falseta

Da união deles dois

Ficou resolvida a questão

E foi proclamada a escravidão

E foi proclamada a escravidão

Assim se conta essa história

Que é dos dois a maior glória

Da. Leopoldina virou trem

E D. Pedro é uma estação também

O, ô , ô, ô, ô, ô

O trem tá atrasado ou já passou

 

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare

Crioulo Doido

Kleber Frizzera: Roma eterna | 2/3

Quem quiser pesquisar mais sobre Stanislaw Ponte Preta / Sergio Porto: [email protected]

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados

A Bicharada do Don Oleari.