Neve em S. Pedro Frio | Dia em que Domingão aplicou cinco multas no Gibira

domingão

Domingão, as multas no Gibira…

Paulo César Dutra

Coluna Aqui COLATINA – Paulo César Dutra

(Cesinha)  [email protected]

 

Dia da Família Colatinense

Dia da Família Colatinense Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Colatina, dia 26, foi aprovado o projeto de lei nº 109/2021, de autoria do vereador Miguel Angelo Guinzani Chieppe que “dispõe sobre a inclusão no calendário Oficial de Eventos do Município de Colatina o Dia da Família Colatinense, a ser comemorado no Dia Internacional da Família, 15 de Maio”. A Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final opinou pela Aprovação. A proposta será votada, em breve, no plenário.
miguel angelo guinzani chieppe

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Colatina, dia 26, foi aprovado o projeto de lei nº 109/2021, de autoria do vereador Miguel Angelo Guinzani Chieppe.

O projeto “dispõe sobre a inclusão no calendário Oficial de Eventos do Município de Colatina o Dia da Família Colatinense, a ser comemorado no Dia Internacional da Família, dia 15 de Maio”.

A Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final opinou pela Aprovação. A proposta será votada, em breve, no plenário.

joao-marcos-cunha-filho-vereador-
joão marcos cunha filho

Prefeitura sob pressão

O requerimento nº 126/2021, de autoria do vereador João Marcos Cunha Filho, que deu entrada na Câmara Municipal de Colatina, é endereçado ao Secretário Municipal de Recursos Humanos requerendo as seguintes informações acerca dos Engenheiros Civis alocados na Prefeitura Municipal de Colatina:

1 – Quantos Engenheiros Civis trabalham na Prefeitura Municipal de Colatina.

2 – Relação dos nomes destes profissionais e suas respectivas Secretarias, bem como o nº do registro profissional no CREA-ES.

Tem alguma coisa errada na administração municipal de Colatina. Juro que não vi nada!

 guerino-balestrassi.jpg
guerino balestrassi

Transporte público

Diversas entidades de Colatina estão marcando sob pressão as autoridades colatinenses, entre elas o prefeito Guerino Balestrassi, para que sejam cumpridas todas as cláusulas do contrato de concessão do transporte público à iniciativa privada no município.

Essa é a reivindicação feita diante de anos de negligência por parte das empresas e da prefeitura, que não faz a fiscalização correta. A reclamação é de que há décadas que os colatinenses sofrem com péssimos serviços no transporte coletivo e nunca foram ouvidos quanto ao aumento das passagens.

O Consórcio Noroeste [Joana d’Arc e São Roque] não cumpre com os artigos que estão no documento de concessão, que prevê a qualidade no atendimento, como aumento da frota de ônibus em horários de pico.

Transporte público IIbus-colatina.jpg

Um abaixo-assinado sobre a questão está disponível em formulário online e conta com o apoio do SISPMC, Sindicato do Vestuário de Colatina, Marilândia, São Gabriel da Palha (SINTVEST), Movimento de Mulheres Negras de Colatina e Região Zacimba – Gaba, Disparada Movimento Juventude, Mãos que se cruzam, Grupo de pescadores, Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Colatina, Sindicato dos Bancários Sub Sede Colatina, Sindicato dos Comerciários sub sede Colatina, Movimento Feminista de Colatina e do Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (Gold) e Movimento estudantil.

Com a palavra e espaço na coluna o prefeito Guerino Balestrassi e seus assessores.

sao-pedro-frio-rapel-cenario.jpg
São Pedro Frio: nevando?

São Pedro Frio

Com esta frente fria que chegou ao Espírito Santo, ninguém vai acreditar que em Colatina está nevando!

É na região de São Pedro Frio, a região montanhosa de Colatina, que as roupas e cobertores de frio foram retirados dos armários.

Ninguém sai de casa, todo mundo na frente da lareira ou do fogão a lenha.

O dia em que Domingão aplicou cinco multas no ‘Gibira!

Em 1979, o Gibira (Luis Carlos Vitali), parou de jogar e veio para Vitória, onde com o dinheiro que ganhou como jogador profissional de futebol, adquiriu vários imóveis comerciais e residenciais na Capital capixaba e um deles, no bairro República, uma casa  baixa, na esquina da avenida Rosendo Serapião de Souza Filho com a rua Nahum Prado para transformá-la na churrascaria Bandolins, hoje o Bacana.

Quando Gibira fez o projeto da reforma e transformação da residência em um comércio, contratou um arquiteto para fazer a planta de modificações do prédio e um construtor para executar a obra. Antes de começar a obra, foi alertado pelo construtor para tomar cuidado com a fiscalização da Prefeitura Municipal de Vitória, que era muito rigorosa com obras na cidade.

uacec-1960.jpeg
uacec 1960

Logo Gibira, por precaução, foi até à Prefeitura Vitória, para saber quem era o fiscal de obras no bairro.

Time do UACEC de 1960 – Em pé: Nelson Barcelos, DOMINGÃO, Tadeu, Décio mamão, Magnago e Délio Maia. Agachados: Gesil, Ronaldo Bernardina, Itamar, Sinval e GIBIRA (Luiz Carlos Vitali).

Quando chegou no setor, encontrou o fiscal, um velho amigo, Domingão, ex-jogador também, e que jogou com ele nos times do UACEC de Colatina e no Rio Branco em Vitória.  Gibira o procurou, para avisá-lo que era o dono da obra e que tudo estava legal e qualquer dúvida para que o comunicasse. Deu o número do telefone fixo e foi para casa satisfeito.

– “Pode ficar tranquilo com sua obra”, disse Domingão.

Dias depois, em um sábado, como de costume, Gibira passou na obra para ver o andamento do serviço e pagar o construtor como o combinado. Lá chegando o construtor entregou a Gibira cinco multas da fiscalização da Prefeitura, todas assinadas pelo Domingão.

Na segunda-feira seguinte Gibira foi até a prefeitura e disse os diabos para Domingão, que negava ter sido o responsável pelas multas. Gibira mostrou a Domingão as multas e o ex-zagueiro, falou rapidamente: “Gibira foi eu mesmo que dei as multas no dono da obra, como pode ver no preenchimento, é uma pessoa chamada Luis Carlos Vitali e não Gibira”.

Vitali

Gibira foi logo dizendo vários palavrões e revelando “O Luis Carlos Vitali sou eu! Meu apelido que é Gibira!”.

Num dos encontros dos “Colatinenses Ausentes” que era realizado na sede social da Águia Branca, em Campo Grande, Cariacica, encontrei o “Gibira” e ele confessou que foi verdade o fato, mas que tudo terminou em paz, entre ele e o Domingão.

Logo Gibira, por precaução, foi até à Prefeitura Vitória, para saber quem era o fiscal de obras no bairro. Quando chegou no setor, encontrou o fiscal, um velho amigo, Domingão, ex-jogador também, e que jogou com ele nos times do UACEC de Colatina e no Rio Branco em Vitória.

Gibira o procurou, para avisá-lo que era o dono da obra e que tudo estava legal e qualquer dúvida para que o comunicasse. Deu o número do telefone fixo e foi para casa satisfeito. “Pode ficar tranquilo com sua obra”, disse Domingão.

Dias depois, em um sábado, como de costume, Gibira passou na obra para ver o andamento do serviço e pagar o construtor como o combinado. Lá chegando o construtor entregou a Gibira cinco multas da fiscalização da Prefeitura, todas assinadas pelo Domingão.

Na segunda-feira seguinte Gibira foi até a prefeitura e disse os diabos para Domingão, que negava ter sido o responsável pelas multas. Gibira mostrou a Domingão as multas e o ex-zagueiro falou rapidamente:

– “Gibira, fui eu mesmo que dei as multas no dono da obra, como pode ver no preenchimento, é uma pessoa chamada Luis Carlos Vitali e não Gibira”.

Gibira foi logo dizendo vários palavrões e revelando:“O Luis Carlos Vitali sou eu! Meu apelido é que é Gibira!”. Num dos encontros dos “Colatinenses Ausentes”,  era realizado na sede social da Águia Branca, em Campo Grande, Cariacica, encontrei o “Gibira” e ele confessou que foi verdade o fato, mas que tudo terminou em paz, entre ele e o Domingão.

bebuns colatina
Bebuns

Memória –

Bebuns 1968

O Bebuns 1968 era um time de futebol de salão (hoje futsal), fundado não para jogos oficiais, mas para as peladas de uma turma seleta de bons amigos e para participar dos torneios relâmpagos quando éramos convidados, cujos jogos eram no mesmo dia.

Haja cachaça. Era um time formado por estudantes “goleiros” (que bebiam só cachaça e vinho Sangue de Boi).

Na foto, em pé Mário Cappi, Clodomar Costa e eu, Paulo César Dutra (Cesinha). Agachados: Everaldo Pereira, Paulinho Frizzera e Tadeu Tardin. A gente derrubava os adversários no “bafo”.

A concentração do time era no Bar do Ademir, na praça da Igreja Matriz, de Colatina. Essa foto foi feita em um sol de mais de 40 graus, na quadra do estádio Justiniano Mello e Silva. Éramos felizes e não sabíamos.

Distritão rejeitado

Uma boa parte das lideranças políticas do Espírito Santo rejeita a Proposta de Emenda Constitucional – PEC – que extingue o sistema proporcional de votação para o chamado “distritão”, que deve ser votado no início de agosto no Congresso Nacional, em meio a questões polêmicas, como o voto impresso e a mudança do regime político para o semi-presidencialismo.

Caciques políticos se movimentam no sentido de alterar as regras por meio de projeto de autoria de parlamentares do centrão, núcleo de partidos aliados ao presidente Jair Bolsonaro. Pela lei vigente, vereadores e deputados (estaduais e federais) são eleitos pelo sistema proporcional, distribuindo as vagas nas casas legislativas de acordo com a votação total dos candidatos e do partido (voto na legenda).

 josias-da-vitoria.jpgDistritão rejeitado II

O deputado federal Josias Da Vitória (Cidadania), coordenador da bancada do ES, vê na Câmara um ambiente favorável ao distritão, mas no Senado há resistência, segundo ele:

– “Acredito que se for alterado o sistema de eleição proporcional, deve-se pensar na manutenção do quociente eleitoral e a fidelidade partidária, para que os partidos políticos tenham suas funções preservadas. Vejo que talvez possa ser aprovado um sistema misto para a eleição do próximo ano, mas ainda não há acordo entre os partidos para aprovação das mudanças”, disse o parlamentar colatinense.

 

https://www.colatina.es.gov.br/concursos/

Circuito Capixaba de Montanhas movimenta economia | Aqui Afonso Cláudio – Dinah Lopes | 29/7

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham