Idosos: peças de museu de cera? | “Queridinhos” de alguns grupos de comunicação | 13/7

idoso
idosos
Alencar Garcia de Freitas

Idosos

Alencar Garcia de Freitas

Idosos: peças de museu de cera?

Em casas ou lares com maioria de jovens, idosos são tratados como peças de museu de cera; postos num canto, para não atrapalhar o entre e sai dos mais moços; e desde a hora que os idosos se levantam, estes ficam o tempo todo sob vigilância e recomendações.
Tais como: ao usarem o vaso, cuidado para não sujar as bordas do vaso ao evacuar e também ao fazer xixi; e cuidado ao tomar banho, este tem que ser quente (idoso não pode tomar banho frio..)
Depois do banho uma batalha para se enxugar sozinho e mudar as roupas, estas, às vezes, vestidas pelo avesso e os botões abotoados ao contrário,
Se um dos idosos resolve fazer um lanche sentado na poltrona da sala, vêm as recomendações de sempre: cuidado para não derramar líquido e sobra de alimentos pelo chão; na hora do almoço as recomendações se repetem com um lembrete a mais: hoje temos visitas, cuidado para não espalhar comida pela mesa.
Depois do almoço, se o programa é uma saidinha de carro, com certeza têm recomendações do tipo: limpar os sapatos para não sujar o carro lá dentro; tem que evitar “conversas” com o motorista para não tirar-lhe a atenção; se tiver uma passagem pela lanchonete, repetem-se as mesmas recomendações da hora do almoço em casa…
idosoAssim, os benditos idosos terão que viver o tempo todo como peças de museu de cera: quietinhos, quietinhos; bem comportadinhos como no tempo de criança.
Embora as crianças e jovens não o sejam nos dias atuais! É bem verdade que os idosos têm apenas passado para contar e não são muitos os que querem ouvi-los; porque de fato ouvir as mesmas histórias todo o dia cansa e muito.
Os mais moços só têm alguma paciência com eles na hora de buscar a ‘”mesada” ou na hora de buscar mais um socorro financeiro dos tantos que buscam com frequência e até com uma boa dose de paciência a mais…
Viver como idoso dependendo dos mais moços não é uma boa; o melhor mesmo é só viver como dependente de Deus, para os que creem!Alencar Garcia de Freitas é jornalista aposentado
“Queridinhos” de alguns grupos de comunicação
É mais do que sabido, de há muito, que alguns veículos e grupos de comunicação têm seus “queridinhos”. Nem precisa perguntar de que lado estão, porque está na cara:  basta prestar atenção nos noticiários: escancaram o quanto podem nos elogios aos “queridinhos” e sentam o cacete nos que não o são!
idososCom grupos de comunicação como esses não existem isenção e nem ética profissional. O ainda maior grupo de comunicação do Brasil deixa nítido de que lado está quanto ao governo Bolsonaro.
Se é para arrebentá-lo não faz por menos, abrindo espaços e mais espaços para matérias que sejam destrutivas, “escondendo” o máximo possível o que porventura seja construtivo!
Uma noite dessas vendo o noticiário noturno era de arrepiar o negativismo dominante da primeira à última fala dos apresentadores, deixando claro que estavam ali na bancada para arrebentar com o governo; via-se isso até no sorriso matreiro deles ao dar cada notícia!
O governo que está aí realmente comete besteiras em cima de besteiras mais pelo fato de falar demais, falando uma bobagem atrás da outra, esquecendo-se que ele é um Chefe de Estado e assim deveria falar e não como um candidato em cima do palanque.
Mas, convenhamos, será que tudo que ele fala e faz não tem nenhum valor para o nosso país e seu povo?
É fácil descobrir de que lado está citado grupo de comunicação, está notório demais. Por exemplo, a editoria do jornal geralmente pega um parecer assinado por ministro do STF e ao invés de fazer um resumo da peça, a apresenta integralmente, dando um cansaço tremendo no telespectador!
Alencar Garcia de Freitas é jornalista aposentado

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham