Quem somos[email protected]

Search

Kleber Frizzera: Fantasmas | 27/7

Fantasmas

Fantasmas

kleber-frizzera-foto-nova-assinatura-coluna-1-1-1-247x300-1-1.jpeg
kleber frizzera, arquiteto,

“Escrever cartas é despir-se diante de fantasmas. Eles esperam avidamente esse gesto. Os beijos escritos não chegam ao destino. Os fantasmas os absorvem no caminho – Franz Kafka, em “Cartas a Milena”.

Em tempos das redes sociais, onde diariamente nos mostramos, nos exibimos nus, nossos corpos e espíritos ao gosto e crítica pública e almejamos likes do mundo digital, quando nossos apelos se reduzem a retornos silenciosos, quando nossos afetos se esgotam na multidão dispersa, imaginemos onde, como e quais os fantasmas, que segundo Kafka, absorvem nossos caminhos e mensagens.

A solidão das grandes cidades, os esvaziamentos das relações pessoais nas expandidas metrópoles, a competição imposta à vida pessoal e profissional, são aspectos constitutivos do mundo contemporâneo.

 cartas-a-milena-capa-194x300-1-1.jpg 27 de julho de 2023 15 KBDepressões, pânicos, sofrimentos psíquicos e mentais, angústias e os receios diante da presença dos outros corpos, diferentes e julgados perigosos, negros, trans, mulheres, pobres, acumulam marcas nos corpos e mentes dos indivíduos urbanos.

Nos intervalos das cidades, fantasmas de superpostas épocas habitam, sorrateiros, nossas ruas, vazios e edifícios, acompanham mudanças e lamentam, atentos, as humanas oportunidades e projetos perdidos, histórias incompletas, observam amores desperdiçados.

Dos seus esconderijos aguardam, em tocaia, a oportunidade para romper o lacre das cartas extraviadas, para revelar seus despidos afetos, buscam absorver nossos sonhos e aspirações, cancelando memórias e aspirando desejos imortais.

2 Desfeita a aliança entre a escrita e a memória, arquivadas nas liquidas nuvens digitais, narrativas não tem como escapar desta captura, diante do avanço dos espectros que ocupam os nevoeiros urbanos.

Incapazes de deglutir tantos e inúmeros coisas e fazeres, deixam vazar resíduos, desperdiçam restos que se somam às pilhas de lixo de histórias, vestígios sem profundidade, ativam vozes que fornecem espantos e surpresas para o presente desencantado.

As cidades, como Vitória, de uma longa história, como o planalto de Serra, de recente e expandida ocupação, ou as suas diferentes vizinhas na metrópole, Vila Velha e Cariacica – todas no Espírito Santo – nas suas particulares urbanizações, eventos e pessoas, são todas assombradas pelas sobras, construídas ou vividas, que ficam expostas, em ruínas ou em interrompidas identidades, destinadas à rememoração ou ao abandono.

Assim, a ruína me ensinou a ruminar, perfaz Shakespeare, e quando palavras e conhecimentos perecem na escuridão, nada mais explicam, sobram montes de resíduos e partes remanescentes, a nos desafiar, “não somos impotentes – nós, pedras pálidas, e completa Poe, “nem todos os mistérios residem em nós – e nos envolvem como vestido largo”.

Entre o temor do esquecimento, que apaga lentamente as nossas vidas, que desfaz os acontecimentos, diante de marcas e paredes que retém os riscos ritos de passagens e o acúmulo dos arquivos que afogam lembranças, novas e maravilhosas mentiras são inventadas, a todo tempo, mesmo esvaziadas de verdades, para manter a vontade de persistir vivendo.

Saberemos reiniciar o controle da memória, da imaginação e da razão instrumental apropriadas pelas ferramentas digitais, restaurar a força, a alegria e o poder do que nos foram legados, em gestos, imagens, palavras e lugares, que antes me abraçavam o corpo e a alma, cantos enevoados, cantos matinais: “mas quando vão embora, e vai-se junto toda a paisagem, onde o paraíso?” (Wallace Stevens)

Kleber Frizzera – Julho 2023

Kleber Frizzera | Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (1971) e mestrado em Arquitetura pela Ufes (Universidade Federal do ES – 1998). Foi secretário municipal de desenvolvimento da Prefeitura de Vitória/ES (2006/2012) e professor adjunto da Universidade Federal do Espírito Santo ( 1978/2015) – https://www.ufes.br/. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente em projetos de arquitetura, arquitetura teoria e crítica, arquitetura áreas centrais, planejamento territorial e renovação urbana.

Fantasmas

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare

Dia dos Avós: Relação com netos, além de ser saudável, é garantida por lei | 26/7

Com nova diretoria, Vila Merlo quer acompanhar novos tempos de Cariacica | 27/7

Marcos Mion e Joel Jota abrem a Black Friday 2023 do Mercado Livre

São Gabriel da Palha | Senac-ES e Setur-ES ministram curso de Cozinha Italiana | 26/7

Com 40 anos de ES, Viminas expande linha de produção | 25/7

 

Tags

COMPARTILHE:

Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados