Luiz Cláudio Ca Sa Do: Mercado do Vinil comemora 50 anos de lançamento do álbum “Tim Maia” | 31/8

mercado do vinil

Mercado do vinil, homenagem a Tim Naia.

 

 ca-sa-do.jpg
luiz cláudio ca sa do, o do meio

 

Por Luiz Cláudio Ca Sa Do 

Em comemoração aos 50 anos de lançamento do seu segundo album “Tim Maia” o Mercado do Vinil presta uma singela homenagem a um dos maiores nome da MPB.

Tim Maia, nome artístico de Sebastião Rodrigues Maia (Rio de Janeiro, 28 de setembro de 1942 — Niterói, 15 de março de 1998), foi um cantor, compositor, maestro, produtor musical, instrumentista e empresário brasileiro, responsável pela introdução dos gêneros soul e funk na música popular brasileira e reconhecido como um dos maiores ícones da música no Brasil.

mercado do vinil
tim maia

Nasceu e cresceu na cidade do Rio de Janeiro, onde, durante a juventude, conviveu com Jorge Ben Jor e Erasmo Carlos. Em 1957 fundou o grupo The Sputniks, no qual cantou junto a Roberto Carlos.

Tim Maia é o segundo álbum de estúdio do cantor, lançado pela gravadora CBD-Philips, através do selo Polydor em 1971. Um disco muito bem sucedido, apresentando excelente vendagem e trazendo dois dos maiores sucessos do cantor carioca, “Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)” e “Você”.

O Lado A abre com “A Festa do Santo Reis”, de Márcio Leonardo, uma fusão entre o baião e o soul, na mesma levada de “Coroné Antônio Bento”, do disco anterior.

Na sequência, vem o maior sucesso do disco, “Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar)”, um samba-soul que puxou as vendas do álbum. Então, segue “Salve Nossa Senhora”, música de Carlos Imperial e Eduardo Araújo, outra mistura de soul e baião que Tim gravou para ajudar o seu amigo Araújo. Neste disco, o cantor carioca aproveitou para regravar canções que tinha feito quando ainda não era conhecido, como “Não Vou Ficar”, gravada por Roberto Carlos em seu álbum de 1969 e “Você” – esta, o outro grande sucesso do disco, gravada por Eduardo Araújo em A Onda É Boogaloo, também de 1969.

Além dessas, regravou “Meu País”, lançada em compacto pelo próprio Maia em 1968. Ainda gravou o clássico da bossa nova, “Preciso Aprender a Ser Só”, dos irmãos Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, mostrando suas raízes no estilo.
Também, há “I Don’t Know What to Do with Myself”, parceria de Maia com Hyldon, um samba-soul em inglês.

Agora em setembro, nos próximos dias 4 (sábado) e 5 (domingo) o Mercado do Vinil estará  de duas da tarde às sete da noite na Casa Porto das Artes Plásticas no centro de Vitória/ES. Compra, venda e troca de discos de vinil novos e usados!

Entrada franca! Vários DJ’s tocando em vinil!

 

https://donoleari.com.br/?p=19068&preview=true

https://www.umusicstore.com/tim-maia

mercado do Vinil

mercado do Vinil

mercado do Vinil

mercado do Vinil

Tim Maia, nome artístico de Sebastião Rodrigues Maia (Rio de Janeiro, 28 de setembro de 1942 – Niterói, 15 de março de 1998), foi um cantor, compositor, maestro, produtor musical, instrumentista e empresário brasileiro, responsável pela introdução dos gêneros soul e funk na música popular brasileira e reconhecido como um dos maiores ícones da música no Brasil.

Suas músicas eram marcadas pela rouquidão de sua voz, sempre grave e carregada, conquistando grande vendagem e consagrando muitos sucessos. Nasceu e cresceu na cidade do Rio de Janeiro, onde, durante a juventude, conviveu com Jorge Ben Jor e Erasmo Carlos.

Em 1957, fundou o grupo The Sputniks, no qual cantou junto a Roberto Carlos. Em 1959, emigrou para os Estados Unidos, onde teve seus primeiros contatos com o soul, vindo a ser preso e deportado por roubo e porte de drogas.

Em 1970, gravou seu primeiro disco, intitulado Tim Maia, que, rapidamente, tornou-se um sucesso com músicas como “Azul da Cor do Mar” e “Primavera”.

O interesse de Sebastião Rodrigues Maia pela música começou ainda na adolescência, quando morava com a família na Tijuca, bairro carioca onde nasceu em 28 de setembro de 1942. Aos 14 anos, formou o “Tijucanos do Ritmo”, grupo musical no qual assumiu a bateria e os vocais. A experiência foi breve e logo ele trocou as baquetas pelas aulas de violão.

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham