Ministra Teresa Cristina fala sobre crise dos fertilizantes com com gente do agronegócio do ES

ministra teresa cristina

Ministra Teresa Cristina

Para fazer frente ao desafio encontrar soluções que possam tornar o Brasil menos dependente de outros países, para a compra dos fertilizantes usados no fomento da produção agrícola nacional, o vice-líder do Governo na Câmara, deputado Evair de Melo, realizou uma reunião virtual com a Ministra da Agricultura Teresa Cristina, na tarde desta quarta-feira (09).

Durante a videoconferência, a ministra atualizou informações sobre as ações do Governo Federal envolvendo o Ministério da Agricultura e outros nove ministérios, que trabalham de forma integrada no enfrentamento dos gargalos logísticos que ameaçam a importação de fertilizantes e, ainda, sobre os esforços empreendidos na busca de alternativas para garantir a realização de operações financeiras internacionais.

 Foto-2-1-1.jpegMinistra Teresa Cristina

“Em face do cenário temerário que se apresenta, nossa meta é apontar soluções que possam reduzir os impactos econômicos, no agronegócio brasileiro, que aumentam mais a cada dia, devido ao conflito entre Rússia e Ucrânia. Já discutimos o assunto com todos os segmentos e entidades do setor, adotamos medidas de curto, médio e longo prazos, e estamos implementando iniciativas que darão maior tranquilidade aos produtores brasileiros”, informou Teresa Cristina.

PRINCIPAIS MEDIDAS

Ao longo da reunião, foram apresentadas propostas que poderão ajudar a manter o nível da produção agrícola nacional, diminuir a dependência brasileira de importações de fertilizantes e evitar um colapso no estoque dos produtos, no Brasil. De acordo com a ministra, este estoque pode abastecer o mercado interno por cerca de três meses. Confira as principais medidas sugeridas pelo Ministério da Agricultura, para a gestão desta crise:

– A aprovação de três matérias importantes pelo Congresso Nacional: o PL 3507/21, que institui o Programa de Desenvolvimento da Indústria de Fertilizantes (PROFET), o PL 190/20, que dispõe sobre a extração de insumos e a MP 790, que trata do regime especial para exploração e aproveitamento de substâncias minerais.

– A retomada da produção de fósforo e potássio no Brasil, a partir da captação de investidores da iniciativa privada;

– O mapeamento da qualidade do solo, pela Embrapa, nos estados que mais produzem alimentos no país, visando ao uso racional de fertilizantes nas regiões mais férteis e produtivas;

– A realização de parcerias com indústrias do Canadá e dos países árabes; com o objetivo de comprar fertilizantes e princípios ativos para suprir as necessidades de abastecimento do mercado nacional;

– A intensificação de estudos e o incentivo à produção de biofertilizantes no Brasil;

– E a consolidação de um acordo mundial para a proibição de sanções e restrições ao comércio de fertilizantes e de insumos utilizados na produção de alimentos, durante conflitos internacionais e crises diplomáticas;

IMPORTÂNCIA DO PROFET

De acordo com o deputado Evair, coautor do PROFET, o programa se baseia, principalmente, em incentivos fiscais para estimular a produção de fertilizantes no Brasil.

“Segundo a Associação Nacional para Difusão de Adubos, os produtores brasileiros precisam fortemente de outros países para terem, no campo, o fosfato, o cloreto de potássio, a ureia e outros itens considerados indispensáveis à produtividade das lavouras”, disse ele.

GRUPO REPRESENTATIVO

A reunião virtual realizada pelo deputado Evair de Melo, também vice-presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), contou com a presença de vários representantes de entidades, cooperativas, associações e empresas do setor, que atuam ativamente na agricultura capixaba. Participaram do encontro representantes das seguintes instituições:

BRAPEX (Associação Brasileira de Produtores e Exportadoes de Papaya); INCAPER (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural); CEDAGRO (Centro de Desenvolvimento do Agronegócio); COOCAFÉ (Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Lajinha/MG); COOPEAVI (Cooperativa Agropecuária Centro-Serrana); CCCV (Centro do Comércio de Café de Vitória);  COOABRIEL (Cooperativa Agrária de Cafeicultores de São Gabriel); OCB/ES e OCB Nacional (Organização das Cooperativas do Brasil); SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e, ainda, Associação Cacau; Sindicato VNI; UNIAVES, CACAU, SELITA;; HERINGERr; SICREDI Sul/ES e AGRICULTURA FORTE.

SINAIS DE ALERTA

Em seu relato, na videoconferência, a ministra fez um resumo dos problemas já existentes anteriormente, que se agravaram e que acenderam uma luz de alerta no Governo Federal, devido ao risco de crise no abastecimento do Brasil. Além do conflito entre Rússia e Ucrânia, que culminou nesta crise, Teresa Cristina citou alguns exemplos, começando com as paralizações e a redução das atividades de produção de fertilizantes na China, devido, principalmente, ao valor absurdo da energia elétrica e à consequente crise energética que se abateu sobre aquele país.

Ministra Teresa Cristina

“Os chineses, maiores produtores mundiais de nitrogenados e fosfatados, respondem por 29% a 39%, respectivamente, do volume global produzido. Além disso, a China é o segundo maior fornecedor de nitrogenados para o Brasil, responsável por 20% do total importado pelo nosso país”, informou a ministra.

Segundo ela, outro sinal de alerta para a crise dos fertilizantes, identificado pelo Ministério da Agricultura, foi o incidente ocorrido na Bielorrússia, em maio do ano passado, quando líderes dos 27 países da União Europeia (UE) exigiram a libertação imediata do opositor político Roman Protasevich, detido depois que o avião civil em que viajava foi forçado a aterrissar em Minsk.

“A Bielorrússia responde por 23% do potássio que o Brasil importa para uso na produção agrícola. E por causa deste incidente ocorrido em Minsk, o país acabou sofrendo sanções internacionais que prejudicaram significativamente a logística e o comércio do produto”, lembrou a ministra, que também esteve na Rússia, em 2021, para tentar garantir o fornecimento regular e contínuo de ureia, para o Brasil”, salientou Teresa Cristina, que nesta quinta-feira (10), se reúne com diplomatas árabes, para tentar negociar o fornecimento de ureia, e que no próximo sábado (12) viaja para o Canadá em busca de novos acordos comerciais com indústrias de fertilizantes e insumos.

OUTRAS SUGESTÕES

Ao final do encontro virtual com o deputado Evair de Melo e representantes do agronegócio capixaba, o presidente OCB, Márcio Freitas, sugeriu à Ministra da Agricultura que adote medidas para assegurar a integração de cooperativas do agronegócio, que atuam em vários países do mundo.

Ele também solicitou providências no sentido de provocar um debate internacional sobre a necessidade de um acordo entre os países, para evita que, durante incidentes e conflitos internacionais, ocorram restrições comerciais e sanções econômicas que possam prejudicar o fornecimento de fertilizantes e insumos, que são essenciais à produção de alimentos.

COM AUTORIDADES DA FAO

Antes de encerrar sua participação nesta reunião virtual, a Ministra da Agricultura Teresa Cristina convidou o deputado Evair de Melo para participar de uma reunião com a cúpula da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO) e com representantes do Canadá, Estados Unidos, México e países da América Central e América do Sul. Segundo ela, o objetivo deste encontro é discutir e propor, à Organização das Nações Unidas (ONU), uma agenda mundial para evitar restrições à produção e comercialização de alimentos no mundo, durante situações de excepcionalidades, como a que acontece hoje.

A FAO é uma agência especializada da ONU que lidera esforços internacionais para erradicar a fome no mundo. Ao todo, 194 países são membros desta organização, que trabalha em sinergia pela erradicação da fome.

Ministra Teresa Cristina

https://donoleari.com.br/evair/

Ministra Teresa Cristina

Ministra Teresa Cristina

Ministra Teresa Cristina

Ministra Teresa Cristina

Ministra Teresa Cristina

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham