Quem somos[email protected]

Search

Sangue | Junho Vermelho alerta para a importância da doação frequente e de novos doadores | 13/6

Sangue

Sangue

Junho Verde, a Escoliose Idiopática do Adolescente;

Junho Vermelho, adoação frequente de sangue

Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado em 14 de junho, busca sensibilizar novos doadores para ajudarem a manter o estoque dos hemocentros

Uma bolsa de sangue é suficiente para salvar a vida de pelo menos quatro pessoas. O sangue é um fluido corporal insubstituível e de extrema importância para a vida humana em diferentes situações, como na realização das cirurgias. Doar sangue é um ato voluntário, não remunerado e extremamente seguro, podendo ser feito por pessoas entre 16 e 69 anos, por meio de uma série de etapas, começando com o cadastro, passando por uma triagem clínica, até chegar numa entrevista individual e sigilosa, para a coleta de informações sobre possíveis riscos de contaminação.

Para ser um doador de sangue, é preciso apresentar boa saúde e pesar mais de 50 quilos. As doações podem ser feitas num intervalo de 90 dias para mulheres e 60 dias para homens, sem distinção. Isso porque, desde 2021, o Brasil passou a autorizar a doação de sangue independentemente da orientação sexual, desde que o candidato tenha um parceiro sexual fixo há pelo menos doze meses.

“A aprovação dessa lei no Senado foi um avanço para o Brasil no que se refere à saúde pública e aos direitos sociais”, reforça Jamille Cunha, hematologista do Grupo SOnHe. A elegibilidade dos candidatos à doação de sangue também vem sendo discutida nos Estados Unidos. O Food and Drug Administration (FDA) emitiu novas recomendações relacionadas à orientação sexual e ao gênero dos candidatos.

Sangue

A doação de sangue é um processo seguro, feito por profissionais capacitados, que fazem uso de materiais esterilizados, garantindo a segurança da operação.

“Esse procedimento foi aprimorado com o tempo e, hoje, é extremamente simples e seguro para o doador”, explica a hematologista.

Recomendações para o dia da doação: É recomendado o mínimo de 6 horas de sono, ter realizado uma alimentação leve, tendo evitado alimentos gordurosos nas últimas 3 horas. A ingestão de álcool deve ser evitada 12 horas antes da doação. Podem ser doadoras as pessoas entre 16 e 69 anos, que pesem mais de 50 quilos.

Quem pode e quem não pode doar: Gestantes não podem doar sangue e as lactantes só depois de 12 meses do parto. Mulheres que sofreram abortos só podem voltar a doar sangue após 3 meses. Doadores com antecedente de câncer, mesmo que curado, diabetes, insulino-dependente, infectados por HIV, hepatites B ou C, doença de chagas e outras doenças cardíacas crônicas também não podem doar sangue. Etilistas crônicos e usuários de drogas injetáveis também são inaptos à doação. Tatuagens, piercings, vacinas a procedimentos cirúrgicos podem gerar inaptidão do doador por um período.

Quem doa para quemSão quatro os tipos sanguíneos, cada um com sua particularidade e importância, que exigem atenção no momento da doação.

Tipo O: As pessoas do tipo O negativo são consideradas as doadoras universais e os estoques desse tipo são importantes em centros cirúrgicos de trauma, por exemplo. Pessoas com esse tipo sanguíneo só recebem de outros que sejam O negativo.

Tipo A: Pessoas com esse tipo sanguíneo podem doar para outras que também sejam A ou AB, respeitando sempre o RH positivo ou negativo. Recebem do tipo A e O.

Tipo B: Pessoas com esse tipo sanguíneo podem doar para outras que também sejam B ou AB, respeitando sempre o RH. Recebem do tipo B e O.

Tipo AB: As pessoas do tipo AB positivo são consideradas receptoras universais, porque podem ser contempladas com todos os outros tipos sanguíneos. Já os do tipo AB negativo, são importantes na manutenção das propriedades presentes nesse tipo sanguíneo.

Sangue

Grupo SOnHe

O Grupo SOnHe – Oncologia e Hematologia é formado por oncologistas e hematologistas que fazem atendimento oncológico alinhado às recentes descobertas da ciência, com tratamento integral, humanizado e multidisciplinar em importantes centros de tratamento de câncer em Campinas, como o Hospital Santa Tereza, Hospital Madre Theodora, Hospital Puc-Campinas, Radium Instituto de Oncologia e Madre Theodora, além do UNACON, em Americana.

O Grupo oferece excelência no cuidado oncológico e na produção de conhecimento de forma ética, científica e humanitária, por meio de uma equipe inovadora e sempre comprometida com o ser humano. O SOnHe é formado por 14 especialistas sendo três deles com doutorado e três com mestrado.

Fazem parte do Grupo os oncologistas André Deeke Sasse, David Pinheiro Cunha, Vinícius Correa da Conceição, Vivian Castro Antunes de Vasconcelos, Rafael Luís, Susana Ramalho, Leonardo Roberto da Silva, Higor Mantovani, Débora Curi, Isabela Pinheiro, Amanda Negrini e pelas hematologistas Lorena Bedotti e Jamille Cunha. Mais no portal www.sonhe.med.br e nas redes sociais.

Editado por Don Oleari – [email protected]https://twitter.com/donoleari

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare

1º Forum Econômico Brasil-Canadá discute cenário político e oportunidades de negócios

Junho Verde visa chamar atenção para a Escoliose Idiopática do Adolescente, curvatura anormal da coluna vertebral

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados

A Bicharada do Don Oleari.