Quem somos[email protected]

Search

Slogan | José Rubens Pontes | Onde foi parar o meu slogan?

Slogan

slogan

E meu slogan?

NEC = Nota do Editor Chefão, Don Oleari | Na mesma semana, o Don Oleari PN tem o privilégio de publicar TRÊS TEXTOS ESPECIAIS:

1 – um texto bacanaço do publicitário Hamilton Ganga, de Belo Horizonte, sobre memórias do grande rádio que sempre se fez em Minas Gerais e no Brasil. 

2 – O José Augusto dos Anjos Araujo nos brindou com um documento EXCLUSIVO sobre os primórdios do JOGO DE DAMAS em Vitória, Espírito Santo, e nos revela que um dos primeiros campeões brasileiros foi um jogador das equipes que disputavam no antigo Clube Náutico Brasil, da Vila Rubim.

3 – Agora, José Rubens Pontes, publicitário que opera a partir de Brasília, nos presenteia com outro belo texto sobre a publicidade brasileira pré-inferneti. Detalhe: Gangana é amigo e contemporâneo de Rubens Pontes, dos grandes tempos da publicidade e do jornalismo mineiros.

olivetto.jpg 29 de abril de 2024 17 KB
olivetto

José Rubens, quinenqui seu sobenome entrega, é filho do jornalista Rubens Pontes, nosso parceiro e colaborador muito querido de muitas jornadas. Ter um Rubens, um Gangana e um José Rubens, e um José Augusto dos Anjos Araujo, aqui pra nosotros, não é pra qualquer saitizim ou jornalão por aí. 

Foto de Capa: um dos celebrados slogans de todos os tempos, do não menos célebre Washinton Oliveto (Don Oleari).

jose-rubens-pontes-_144901-1-1-1-1-1.jpg 16 de junho de 2023
josé rubens pontes, publicitário

ARTIGO | 

José Rubens Pontes

Brasília

As campanhas de varejo sempre estiveram na essência da publicidade brasileira, foram elas que viabilizaram a profissionalização dos publicitários, a formação das agências e que melhor aproveitaram a nossa criatividade.

havaianas-chico.jpg 28 de abril de 2024 27 KBE na essência delas, fossem campanhas institucionais (Varig, Varig, Varig) ou de vendas (legítimas, só Havaianas), estavam os slogans e jingles.

Foram também as nossas primeiras contribuições para a profissionalização das campanhas políticas.

Usualmente, o lançamento das Casas Pernambucanas em 1908 é considerada a primeira grande campanha de varejo no mercado brasileiro, e já cantava aquela musiquinha que a minha geração ainda sabe de cor:

“Eu não deixo você entrar, nas Casas Pernambucanas…” segue uma das versões veiculadas: “Quem bate? É o frio…” – Comercial Casas Pernambucanas (1962).

Pesquisando um pouco sobre o tema, encontrei uma preciosa curiosidade, que deve ser a mais antiga campanha de varejo da história e já com um slogan de venda.

Em 1470 Peter Schoeffer, tipógrafo alemão e parceiro de Gutenberg, imprimiu em um folheto a sentença “a mesma qualidade do manuscrito, mas muito mais barata”.

Afrase encabeçava uma lista de vinte livros que seus caixeiros viajantes ofereciam nas cidades alemãs e que teve uma única cópia preservada, hoje na Biblioteca Estadual de Munique.

Aliás, para mim foi também a mais antiga campanha de vendas B2C!

Podemos discutir longamente quando e como nasceu a publicidade e a nossa profissão, mas antes das campanhas do varejo, era até mesmo uma profissão de segunda linha.

Jornalistas de plantão nas redações escreviam os anúncios para seus veículos – era um “bico” bastante apreciado e comerciantes escreviam os seus panfletos.

Ao longo do tempo  éramos chamados de “pregoeiros”,  “anunciantes” e mesmo “agitadores”, estes os antecessores do marketing político!

No século XX a publicidade cresceu de importância e se profissionalizou, acompanhando o aumento da oferta de produtos e os novos canais de informação que se ampliavam, principalmente o rádio.

Mas, mesmo as redes de emissoras operavam majoritariamente em bases municipais e veiculavam basicamente anúncios locais “ao vivo”, sendo raras campanhas de alcance nacional.

A evolução tecnológica, com a ampliação do alcance das redes de emissoras de rádio e TV e a chegada das transmissões em cadeia nacional ao vivo ou gravadas e em cores, mudou os hábitos dos brasileiros e até mesmo a hora de dormir. E isso foi registrado pela campanha para os Cobertores Parahyba:  “já é hora de dormir, não espere a mamãe mandar”

Cobertores Parahyba)

Passamos a nos informar diariamente no Repórter Esso – testemunha ocular da história, e a nos emocionar com o drama de Albertinho Limonta nos 160 capítulos de “O Direito de Nascer”, da TV Tupi.

A evolução estava mudando o mundo e transformando a sociedade, seus hábitos de consumo e os canais de informação,. A publicidade foi junto, maria-vai-com-as-outras ou ágeis inovadores que somos.

As grandes campanhas de varejo com forte utilização das redes de TV abertas e suporte de jornais de alcance nacional se tornaram o habitat natural da propaganda, com memoráveis campanhas, prêmios e reconhecimento internacionais e prestígio no Brasil.

Mas a história não para e a evolução continuou com transistores e chips, com internet e mídias sociais. Gradativamente fomos estreitando nosso olhar, segmentando as mensagens dos clientes para nichos cada vez mais focados, com cada vez mais análise de dados, até chegar às tentativas atuais de hiper personalização.

Com as ferramentas ainda mais recentes, sonhamos com mensagens B2P, business to person – uma para cada pessoa.

 DETALHES DO ANEXO bombril-esponjaaco_01.jpg 28 de abril de 2024 32 KBÉ a realidade, não é um moinho de vento. A questão é que muitas campanhas segmentadas, principalmente em mídias sociais, esquecem a nossa essência, a mensagem da marca que deveria sempre estar presente, e que costuma ser muito bem traduzida por slogans, jingles e taglines:

– 1001 utilidades, just do it, quem come um, pede bis –

O maior valor de uma empresa de varejo, que é a sua marca, a sua identidade junto à sociedade e como ela é avaliada por seus clientes, pode estar sendo desvalorizado.

Se você perguntar a uma AI regenerativa, tão em uso atualmente, pelos melhores slogans dos últimos anos, nada na lista terá menos de cinco anos ou mais, como verifiquei em uma pesquisa rápida usando o Copilot da MS e outras ferramentas semelhantes.

Como publicitário, protesto: quero meu slogan de volta (José Rubens Pontes).

Referências

Mercado publicitário cresce pelo 4º ano consecutivo e retoma nível pré-pandemia, aponta Kantar – Estadão (estadao.com.br)

30 exemplos de slogans de marcas famosas de todos os tempos

Retail Media: a revolução do varejo e a terceira onda da publicidade

A História da Publicidade – Memória da Propaganda (memoriadapropaganda.org.br)

Uma história do Índice, por Dennis Duncan. Fósforo Editora (2022)

slogan

Edição, Don Oleari – [email protected] | https://twitter.com/donoleari

http://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare

Hamilton Gangana: o rádio vai acabar?

José Augusto dos Anjos Araujo | Jogo de Damas: José Carlos Rabelo, do ES, Primeiro Campeão brasileiro de Damas

Aqui Jardim Camburi | Prefeito Lorenzo Pazolini assina ordem de serviço para obras de ampliação da Unidade Sanitária de JC

Dólar em abril | Luiz Felipe Bazzo: fechamento de mercado da semana | Análise do dólar em abril

Aqui Jardim Camburi | Grupos Corta Jaca e 3 Elementos e Fábio Pinel vão de Chorinho na praça neste sábado, 27

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados

A Bicharada do Don Oleari.