Teófilo Otoni se mobiliza para audiência pública no abraço de Minas aos projetos da Petrocity | 4/4

teófilo otoni

Teófilo Otoni no abraço de Minas aos projetos da Petrocity

Em colaboração com jornal Tribuna Norte Leste (TNL) – https://tribunanorteleste.com.br/

Mais de 40 líderes empresarias e da política mineira, dentre eles o deputado estadual João Leite (PSDB), presidente da Comissão Pró-Ferrovias Mineiras na Assembleia Legislativa, estão confirmados na audiência pública desta segunda-feira (4), às 9 horas, no auditório da CDL de Teófilo Otoni, em mais uma demonstração de como Minas Gerais está abraçando os projetos estruturantes da Petrocity Group.

No evento de Teófilo Otoni os mineiros terão oportunidade de conhecer os detalhes da Estrada de Ferro Juscelino Kubistschek, que compõe a malha ferroviária de 2.300km de estradas de ferro com saída pelo mar em São Mateus, no Norte do Espírito Santo. A audiência pública é apoiada pela Agência de Desenvolvimento do Vale do Mucuri, pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL, pela Associação Comercial e Empresarial e pelo Sindicato do Comércio de Teófilo Otoni e Região.

Vários municípios vizinhos estão enviando representantes para o encontro, a exemplo do que aconteceu no período que antecedeu a audiência pública realizada em Barra de São Francisco, quando o presidente da Petrocity, José Roberto Barbosa da Silva, teve intensa atividade de apresentação dos projetos de três ferrovias que impactarão diretamente os negócios em Minas Gerais.

Foram realizadas audiências públicas em Montes Claros e Unaí, no Norte do Estado, e apresentações também em Belo Horizonte na Federação das Indústria e conversas na Invest Minas, que é a agência de promoção de investimentos em Minas Gerais.

O evento de Teófilo Otoni é o primeiro da série que o executivo da Petrocity realiza neste mês de abril nas regiões a serem impactadas pela EF 030 (Ferrovia JK), ligando São Mateus a Brasília. Teófilo Otoni é a primeira cidade mineira com uma Unidade de Transbordo e Armazenagem de Cargas (UTAC).

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
Posteriormente, José Roberto será recebido na Invest Minas no dia 6, quarta-feira, falando sobre os projetos de infraestrutura e como eles impactarão os negócios no Estado, criando um novo corredor de escoamento de produção do Vale do Aço, Vale do Jequitinhonha e Norte do Estado.

A audiência pública que haveria na Assembleia Legislativa no dia 7, quinta-feira, foi cancelada, mas José Roberto deverá aproveitar a presença em Belo Horizonte para encontrar-se mais uma vez com o deputado João Leite, presidente da Comissão Pró-Ferrovias da Assembleia Legislativa.

O jornal mineiro mais tradicional, O Estado de Minas, destinou reportagem de capa com uma página inteira falando sobre os projetos ferroviários, que impactarão diretamente 41 municípios de Minas Gerais nos próximos dez anos: a Estrada de Ferro JK (EF 030), a EFMES (EF 456) e a Estrada de Ferro Planalto Central (EF 355), ligando Unaí a Campos Verdes (GO), com uma outra short-line de 50km ligado Corumbá de Goiás a Anápolis(GO), conectada à EF 355.

Depois de participar do encontro na Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), quando José Roberto Barbosa expôs para o presidente da entidade, Flávio Roscoe Nogueira, o programa de investimentos do grupo Petrocity, totalizando R$ 30 bilhões, o vice-presidente da Fiemg no Vale do Aço, Flaviano Mirco Gaggiato, salientou o peso dos projetos para a região a ser servida pela EFMES (EF 456).

“Tudo será feito com capital privado e teremos uma UTAC em Santana do Paraíso, onde teremos um porto seco para desembaraçar mercadorias tanto que chegam quanto as que saem. É um projeto grandioso certamente será o novo corredor de exportação tanto para grãos quanto para minérios, rochas ornamentais, aço e outros armazenáveis em conteiners, produzidos em Goiás e em Minas Gerais. Desejamos e estamos trabalhando para que os projetos sejam coroados de sucesso, pois o prazo é de dez anos e nesse período teremos uma completa transformação em nossa região”, disse Flaviano.

INVEST MINAS
O entusiasmo dos mineiros pode ser percebido também no depoimento do diretor de atração de investimentos da Invest Minas, Ronaldo Alexandre Barquete: “Em nome da Invest Minas e do Governo de Minas Gerais estamos muito felizes em participar desse projeto, dando assistência, suporte e contribuindo para sua implementação, já que se trata de um projeto estruturante, revolucionário, que vai mudar a cara de toda a região e fará a conexão do Espírito Santo com Brasília, estando 60% dentro do território mineiro, impactando diretamente 41 de nossos municípios”.

Segundo Barquete, “são regiões estratégicas e importantes para Minas Gerais, como Vale do Aço, Vale do Jequitinhonha e Norte do Estado, trazendo muitos benefícios com o escoamento da produção, que hoje é feito exclusivamente pelo modal rodoviário, com um gargalo de fluxo de mercadoria que essas ferrovias vão poder solucionar”.

A geração de emprego e renda e recebida com muita expectativa. “Somente na construção das ferrovias serão gerados 5 mil empregos em nosso Estado, sem contar depois na operação e em todos os empreendimentos que serão atraídos em função da possibilidade de escoamento da produção. São projetos que terão ferrovia, mas também unidades de transbordo que poderão ser transformadas em portos secos fazendo com que os benefícios fiquem aonde serão implantados”, disse Barquete.

O diretor da Invest Minas anunciou, também, que no dia 6 de abril a agência de atração de investimentos vai reunir as principais empresas do setor, as que utilizam o modal ferroviário e aquelas que podem fornecer parte dos componentes para os projetos.

“Vamos reunir especialistas para discutir diversos projetos e oportunidade, como o da Petrocity, além das renovações das licenças renovadas das empresas já instaladas e os novos trechos concedidos em função do novo marco legal ferroviário, que permite a construção de ferrovias mediante uma autorização por conta e risco do investidor privado. Minas quer ser o indutor do desenvolvimento desse setor”, disse Barquete.

FÁBRICAS DE LOCOMOTIVAS
O diretor da Invest Minas lembrou que o Estado possui as duas únicas fabricantes de locomotivas do Brasil e uma cadeia de fornecedores que podem ser de grande apoio para os novos projetos.

“Quero parabenizar a Petrocity, os seus acionistas e todo o grupo que confiou em Minas Gerais. Estamos totalmente dentro e voltados ao apoio para o desenvolvimento desses projetos”, acentuou.

As duas fábricas de locomotivas mencionadas por Barquete estão localizadas em Contagem e em Sete Lagoas. Esta, foi inaugurada há dez anos, em 2012, pela Electro-Motive Diesel (EMD), subsidiária da Progress Rail Services, empresa do grupo norte-americano Caterpillar, e faz parte do plano de investimento de 100 milhões de dólares da multinacional para o Brasil, com a produção de locomotivas voltadas para a América Latina.

A outra fábrica, de Contagem, comemorou em julho de 2021 a entrega da 500ª locomotiva de corrente alternada (AC44) produzida na cidade, na fábrica da empresa Wabtec Corportation (antiga GE Transportation), que emprega 1.140 funcionários. Uma locomotiva atualmente custa aproximadamente R$ 5 milhões e cada vagão de trem custa em torno de R$ 250 mil. (Da Redação da Tribuna Norte Leste).

Teófilo Otoni

Iphan iniciou reforma da Igreja dos Reis Magos de Nova Almeida nesta quinta-feira, 31

Teófilo Otoni

Teófilo Otoni

https://petrocitygroup.com.br/

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham