Lordose pra Leão: Lordozé volta à cena com o show Um indivíduo | 20/10

lordose pra leão

Lordose pra Leão –  Lordozé, show Um indivíduo

 IMG-20211019-WA0003.jpg

Maiores sucessos da banda Lordose pra leão agitarão o Bar do Lennon (antigo Pantera), em Campo Grande, Cariacica. O evento comemora os 20 anos do CD Todo mundo está feliz aqui na terra

Por Adolfo Oleare

Lordozé é José Renato Rodrigues, o Zen Renato do Lordose pra leão, cantando e tocando o repertório da banda no formato voz e violão, acompanhado pela percussão de Rossini Lobo, baterista da segunda formação do grupo.

As participações especiais ficam por conta de Breno Leppaus (trompete) e Beto Trombose (trombone), ambos integrantes do naipe de metais “fundametal”, do Lordose. A abertura do show será de Rogério Marcos de Almeida, o Kiko, vocalista e compositor do Brígida D’la Penha, banda expoente da música produzida em Cariacica/ES.

Compositor, trompetista e vocalista do Lordose, Zé Renato traz para o Lordozé diversos sucessos radiofônicos da banda, como Julietzsche, Lara, Flautin e tuba e Um indivíduo (canção que dá título ao show). Também serão interpretadas composições inéditas, como Elis Regina, Clementino, Cabriolas de volatim, Contracultura, O dia em que vc se foi e Eu vou pirar (todas em parceria com Adolfo Oleare, gritador do Lordose), além de inúmeros sucessos consagrados nas centenas de shows realizados ao longo dos últimos 30 anos, como Frevo Mulher (Zé Ramalho), Sábado à noite e Cabral.

Com o show Um indivíduo, o Lordozé registra simbolicamente o aniversário de 20 anos do CD Todo mundo está feliz aqui na terra. Durante o evento serão entregues 20 exemplares do disco, prêmios da promoção comemorativa realizada no Instagram da banda (@lordose).

Agora ressignificado, o Lordozé surgiu clandestinamente, num episódio cômico. Na ocasião, o contratante de um show, proprietário de um bar em Cariacica, acabou rompendo o acordo estabelecido entre as partes acerca da estrutura técnica de sonorização, o que levou a banda a cancelar a agenda. Prontamente, numa ação não autorizada, o cariaciquense Zé Renato tirou a viola do saco e, no horário marcado, apresentou à plateia o repertório do Lordose.

Assim, sob as gargalhadas de seus parceiros musicais, a fórceps deu à luz o Lordozé, hoje transformado em projeto oficial.

Em 2003, exatamente no palco deste segundo show do Lordozé (então Bar do Pantera, hoje Bar do Lennon), o Lordose pra leão gravou o CD ao vivo Live in Big Field – Pior que a Merda, em homenagem à banda Merda, de Vila Velha, ES.

SERVIÇO

Show Um indivíduo, do Lordozé.

Data: 5 de novembro de 2021.

Horário: 20 horas.

Local: Bar do Lennon (Antigo Bar do Pantera). Rua Coronel Olímpio Cunha, nº 7, Campo Grande, Cariacica, ES (em frente à Feltz Motopeças).

Ingressos na portaria: r$ 11,00.

Venda antecipada: r$ 10,00.

Pix: Rafael Pereira Bellumat (CPF 009.753.427-70).

Picpay: @adolfo.miranda.oleare

OBS: Os comprovantes devem ser identificados e enviados para 27 999017002.

Don Oleari Pesquisa

Lordose Pra Leão

Lordose pra Leão surgiu em 1991 no Curso de Comunicação da UFES se tornou conhecido no ES por ser a primeira banda local a emplacar um sucesso em uma rádio comercial: Em 1992, a canção “Jullyetsh” ficou em primeiro lugar durante 2 semanas na extinta Rádio Capital (Rede Gazeta) e por dois meses a música esteve entre as 10 mais pedidas da emissora.
Em 1996 sai o 1º CD da banda “Os pássaros não calçam rua” que traz a participação especial de Zé Ramalho entoando “Ananias e o Cavalo” de autoria de Adolfo e Zé Renato. O estreitamento com o músico paraibano se deu por conta da releitura “Heavy Metal” de “Frevo Mulher” pela banda capixaba, versão que encantou Zé Ramalho.
Em 2001 o Lordose lança “Todo Mundo está Feliz Aqui na Terra”, o título do CD faz referência à inclusão neste disco de uma versão que a banda fez para a canção do músico cachoeirense Sérgio Sampaio. O 2º CD do Lordose pra Leão emplaca “Um Indivíduo (Melo do Paletó)” executada pela maioria das FMs capixabas.
Neste mesmo ano a banda grava seu primeiro video-clipe, “Lara”, com direção do cineasta Lizandro Nunes.O 1º e 2º CDs do Lordose foram lançados graças ao apoio da Lei Rubem Braga (Lei de incentivo à Cultura da Prefeitura de Vitória). cineasta Lizandro Nunes.Em 2003 o Lordose grava “Live in Big Field, Pior que a Merda”.
Merda neste caso trata-se da banda de música rock de Vila Velha. O 3º CD do Lordose foi registrado ao vivo em um show no Bar do Pantera, em Campo Grande (Cariacica).
O disco, gravado de forma “artesanal”, conta com as participações de João Morais (da Patuléia), Giuliano Ozzy (Porrada!) e Dani Boy e Macaco (Símios).
E foi graças a este disco que GG, proprietário do então estúdio 771 (Em Jd. Camburi), ofereceu horas ilimitadas para a captação do mais recente trabalho, “Eu tenho que Vomitar meu Cérebro” que foi concluído graças à Lei Chico Prego (Lei de incentivo à Cultura da Prefeitura da Serra).
Com 20 anos de estrada, Lordose pra Leão volta com a formação que gravou o 1º CD, mais o guitarrista Gean Pierre que gravou os outros 3 álbuns e Luciano Cruz no saxofonista, que integrou a banda na Turnê do 2º álbum.
O próximo capítulo nesta trajetória é contado pelo Documentário que narra os 20 anos do Lordose Pra Leão. O projeto, viabilizado através da Lei Chico Prego, capitaneado pela Empresa Bossa Brasil, teve edição de Phillipe Grillo e Direção de Lizandro Nunes.
LORDOSE PRA LEÃO: Adolfo Oleari (Vocal), Serjão (Vocal), Zé Renato (Trompete e Voz), Márcio Vaccalôca (Bateria e Voz), Sandro Costa (Baixo), Marcelo Maia (Guitarra), Gean Pierre (Guitarra) e Luciano Cruz (Saxofone).

https://donoleari.com.br/

Lordose pra Leão

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham