Quem somos[email protected]

Search
Abapuru

Rubens Pontes: Quando Abapuru (o homem que come gente) e Tupinambás praticantes de Canibalismo se abraçam num fim comum | 31/3

Abapuru

Rubens-Pontes-4-1-da-assinatura-1.png
Rubens-Pontes, jornalista

Coluna

AQUI RUBENS PONTES:

Meus poemas de sábado

O Editor Chefão do Portal Don Oleari entrou  na redação portando um sorriso malandramente maroto, nos colocando todos em precavida posição de alerta.

Não se  dirigiu particularmente  a nenhum de nós, mas  seu desafio foi provocativo  e com ele entendemos pretender o Portal abordar uma relação improvável entre o canibalismo ritual dos tupinambás do Espírito Santo à época da ocupação do território, com  o canibalismo  antropofágico cultural  proposto por intelectuais brasileiros  na Semana de Arte Moderna, em 1920.

A expressão justificada  pelo escritor MÁRIO de ANDRADE no seu manifesto dado a público em 1928 era uma referência aos rituais de canibalismo onde se  acreditava que após engolir a carne de uma pessoa seriam concedidos ao canibal todo o poder, conhecimentos e habilidades da pessoa devorada.

MÁRIO de ANDRADE e seus companheiros pretendiam praticar o canibalismo da cultura estrangeira, que deveria ser  devorada e assimilada, para ressurgir com uma identidade brasileira multicultural e original, criativa e  miscigenada.

A pergunta se impõe: havia de fato canibalismo entre os TUPINAMBÁS no Espírito Santo? Mas fato é fato e tem até a assinatura do historiador  PEDRO FREITAS, de “ARTES/CULTURA”.

Surpresa?

Em uma entrevista realizada pelo então PRESIDENTE JAIR BOLSONARO ao NEW YORK TIMES em 2016, disse ele ter sido convidado por uma tribo indígena  para comer carne humana….Não concluiu o relato…

Sim ou não, nos idos do SÉCULO XVI, a antropofagia era uma realidade, semelhante ao canibalismo, ato de comer carne humana por força de um ritual. Difere um do outro pelo fato do primeiro ser ritualista e o segundo uma  prática de comportamento predatório.

O mercenário alemão HANS STADEN, capturado pelos  tupinambás do ES e depois escapado,  narra que os indígenas  capturavam a vítima em campo de batalha e sua carne pertencia ao primeiro que a houvesse tocado.

O refém poderia circular pela aldeia por tempos antes  de sua execução, marcada pelas fases da LUA que mostravam os melhores dias para se matar um adversário, como também o melhor momento para  caça e pesca e desenvolvimento das plantações.

Depois de morto, seu sangue deveria ser bebido ainda quente e seu cadáver assado e escaldado para ser comido, uma ingestão capaz de fazer  adquirir  mais força para  novas batalhas.

Em 2009, a FUNAI descartou a prática do canibalismo entre as tribos indígenas brasileiras.

Sem pretender polemizar, comenta-se que ainda no nosso tempo, a  tribo dos ianomâmis, manchete na imprensa brasileira e de praticamente todo MUNDO,, conserva o hábito  de comer as cinzas de um companheiro morto como sinal de  respeito e afeto.

Esse costume permanece porque os indígenas notaram também como as plantas ficavam mais saudáveis com  as cinzas de um morto nelas depositadas.

mario-e-oswald_de_andrade106213-1.jpg
mario e oswald de andrade

Imaginam, por dedução, que ingerir as  cinzas de seus companheiros permitiria que suas melhores características fossem perpetuadas.

Proposta da antropofagia cultural

A expressão  antropofagia cultural de Oswald de Andrade promovia o canibalismo da cultura estrangeira, para que a arte brasileira passasse a contar com  uma identidade cultural externa, com uma identidade brasileira multicultural.

Nem se precisa falar em “guardadas as proporções”…

Mas a semana de arte moderna deflagrada com espanto em 1928 com a publicação do “manifesto antropofágico” foi o que se denomina um divisor de águas entre o passado e o futuro na criação na arte brasileira.

tarsila-page-1.jpg
tarsila do amaral

Abapuru – a sorte foi lançada

Foi assim que não mais que de repente, em 1928,  a artista plástica Tarsila do Amaral pintou um quadro para presentear seu marido, não outro que Oswald de Andrade.

Na ocasião, o poeta Raul Bopp, anestesiado com a tela, sugeriu ao presenteado um movimento cultural em torno da fascinante criação.

Foi quando surgiu o nome que ficou na HISTÓRIA da arte mundial: ABAPORU – que significa “homem que come gente”, um dos marcos da antropofagia na arte.

 poeta-indigena-rubens-1.jpg

Senhor Editor Chefão: espero ter atendido, ainda que parcialmente, à sua imperiosa sugestão. E para finalizar, como exige o espírito da COLUNA,, publicamos  poemas de MÁRCIA KAMBEBA, indígena do povo OMÁGUA – KAMBEBA, do ALTO SOLIMÕES.

Rubens pontes, jornalista

Capim Branco, MG.

Márcia Wayna Kambeba é indígena, nasceu na aldeia Belém do Solimões, do povo Tikuna. Escritora, poeta, compositora, fotógrafa e ativista.

ÍNDIO EU NÃO SOU

Não me chame de “índio” porque
Esse nome nunca me pertenceu
Nem como apelido quero levar
Um erro que Colombo cometeu.

Por um erro de rota
Colombo em meu solo desembarcou
E no desejo de às Índias chegar
Com o nome de “índio” me apelidou.

Esse nome me traz muita dor
Uma bala em meu peito transpassou
Meu grito na mata ecoou
Meu sangue na terra jorrou.

Chegou tarde, eu já estava aqui
Caravela aportou bem ali
Eu vi “homem branco” subir
Na minha Uka me escondi.

Ele veio sem permissão
Com a cruz e a espada na mão
Nos seus olhos, uma missão
Dizimar para a civilização.

“Índio” eu não sou.
Sou Kambeba, sou Tembé
Sou kokama, sou Sataré
Sou Guarani, sou Arawaté
Sou tikuna, sou Suruí
Sou Tupinambá, sou Pataxó
Sou Terena, sou Tukano
Resisto com raça e fé

TERRITÓRIO ANCESTRAL

Maá munhã ira apigá upé rikué
Waá perewa, waá yuká
Waá munhã maá putari.

O que fazer com o homem da vida
Que fere, que mata
Que faz o que quer?

Do encontro entre o “índio” e o “branco”
Uma coisa que não se pode esquecer
Das lutas e grandes batalhas
Para o direito a terra defender.

A arma de fogo superou minha flecha
Minha nudez se tornou escândalo
Minha língua foi mantida no anonimato
Mudaram minha vida, destruíram meu chão.

Antes todos viviam unidos
Hoje, se vive separado.
Antes se fazia o Ajuri
Hoje, é cada um para o seu lado.

Antes a terra era nossa casa
Hoje, se vive oprimido.
Antes era só chegar e morar
Hoje, o território está dividido.

Antes para celebrar uma graça
Fazia-se um grande ritual.
Hoje, expulso da minha aldeia
Não consigo entender tanto mal.

Como estratégia de sobrevivência
Em silencio decidimos ficar.
Hoje nos vem a força
De nosso direito reclamar.
Assegurando aos tanu tyura
A herança do conhecimento milenar.

Mesmo vivendo na cidade
Nos unimos em um único ideal
Na busca pelo direito
De ter nosso território ancestral.

O que fazer com homem na vida
Que fere, que mata
Que faz o que quer?

https://twitter.com/donoleari

Arnaldinho Borgo é homenageado na sessão da AL pelos 47 anos da Associação de Cabos, Soldados e Bombeiros da PM/ES

Abapuru

Abapuru

Abapuru

Abapuru

Abapuru

Abapuru

Abapuru

 

COMPARTILHE:

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

diagonal-coluna-do-oleari.png
 Lastenio Cardoso

Lastenio Cardoso

Lastenio, pré-candidato à reeleição para

 lastenio-recorte.jpg 17 de julho de 2024 6 KB prefeito de Baixo Guandu,

conversando com as famílias e comunidades.

 Lastenio Cardoso

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Amigos da Baleia Jubarte

Revista Atual

Feijoada do MNU

Rafael Ottaiano: Lidere-se primeiro

Coluna

AQUI PRAIA DO CANTO | Vitória/ES

don-oleari-novo-don-corleone-1-202x300-1-e1698414608507.jpeg 8 de novembro de 2022 8 KB
don oleari

Don Oleari

Recebemos do nosso colaborador Hudson Ruela.

Segue neste domingo.

E de noitinha tem Vanessa Da Mata.

 festival-da-baleia-1.jpg 14 de julho de 2024 14 KB 200 por 194 píxeis Rolou ontem e continua rolando neste domingo.

Baleia

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Revista Atual

Feijoada do MNU

Rafael Ottaiano: Lidere-se primeiro

Revista Atual

Revista Atual

danilo-leonel-capa-nova-da-revista-atual-reduzida.jpg 4 de julho de 2024 7 KB O Editor Danilo Leonel dá um spoiler sobre a nova capa da revista.

De primeira.

Revista Atual

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Feijoada do MNU

Rafael Ottaiano: Lidere-se primeiro

“Viva São Paulo” | 29/6

 

MNU

(Eliezer Tavares Albuquerque)

Vamos celebrar 12 anos de refundação do Movimento Negro Unificado.

liezer-feijoada.jpg 4 de julho de 2024 6 KB 197 por 99 píxeis Editar imagem Excluir permanentemente A entidade luta contra todo tipo de discriminação e em defesa dos Direitos Humanos.

Venha partilhar conosco este momento de muita importância.

MNU

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare https://twitter.com/donoleari

Rafael Ottaiano: Lidere-se primeiro

“Viva São Paulo” | 29/6

CPI dos Maus Tratos | Janete de Sá em S. Mateus

Ottaiano

Ottaiano

rafael-reduzida.jpg 29 de junho de 2024 5 KB Esse foi o tema da palestra para as Engenharias da Multivix Vitória/ES, ministrada pelo ex-aluno e Engenheiro Civil Rafael Ottaiano.

“Em tempos de ansiedade e depressão, saber conduzir a própria vida com equilíbrio é pré-requisito para conduzir times e equipes”, defende o engenheiro Rafael Ottaiano.

 

Ottaiano

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

“Viva São Paulo” | 29/6

Morgan Freeman, consciência

 

Viva

Manoel Goes Neto

ao-paulo-outra-foto-reduzida.jpg 27 de junho de 2024 6 KB  São Paulo, um Santo Junino pouco lembrado. Missionário e líder da fé cristã.
29 de junho é o Dia de São Paulo!
Vivaaaaaaaaa!

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

CPI dos Maus Tratos | Janete de Sá em S. Mateus

Mandela no ES

 

CPI dos Maus Tratos

CPI dos Maus Tratos da AL/ES no caso da morte do pincher Huck.

ferroviários Janete de SáA presidente da CPI dos Maus-tratos Contra os Animais, deputada Janete de Sá, participa nesta quarta-feira (19) na Câmara Municipal de São Mateus, Norte do Espírito Santo, de reunião para ouvir os envolvidos no caso do pinscher Huck.

O cão foi encontrado em estado agonizante e gravemente ferido, vindo a óbito.

Serviço
CPI dos Maus-tratos Contra os Animais
Data: 19 de junho
Horário: 14h30m
Local: Câmara de Vereadores de São Mateus/ES

CPI dos Maus Tratos

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Morgan Freeman, consciência

Mandela no ES

capa-de-livro-renato.jpg 13 de maio de 2024 44 KB

Lançamento do livro de Aurelio Carlos Marques de Moura nesta segunda-feira, às 19h30m, na Biblioteca Pública do Espírito Santo.

A história da vinda de Nelson Mandela ao Espírito santo durante o governo Albuino Azeredo como nunca foi contada.

renato-e-dona-lurdes.jpg 13 de maio de 2024 11 KB

Os bastidores da visita.

Recebi livro do jornalista, professor, profissional de Markenting Político, Renato Viana Soares, numa inesperada e agradável visita com o mano Jair Viana Soares. Ele veio a Vitória para passar o Dia das Mães com Dona Lurdes (foto).

Mandela

 

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Morgan Freeman, consciência

Bom Jesus de Itabapoana

 

consciência

consciência

Na boa, a frase do grande ator é porretaçaaaa!

frase-morgan-freeman.jpg11 de maio de 2024 13 KB

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Antuerpia, cervejas premiadas

Bom Jesus de Itabapoana

 

Itabapoana

Itabapoana

Por Pedro Antonio de Souza

 a-do-pedro-antonio-dia-27-a-de-190.jpg 26 de abril de 2024 7 KB

Programação deste fim de emana em Bom Jesus, com nossos vizinhos da divisa, no Rio de Janeiro.

Informações todas no baner. Nosotros, do Don Oleari PN, mandamos um abração pra Sheila Brasil e seu parceiro.(Pedro Antonio de Souza).

Edição, Don Oleari – [email protected] | https://twitter.com/donoleari

http://www.facebook.com/oswaldo.oleariouoleare

Hartung & Pelaes, aniversariantes

No Posto de Saúde do J. da Penha

Antuerpia, cervejas premiadas

Quem mudou, mudou!

Santorio no PP – 5/4

Posts Relacionados