Quem somos[email protected]

Search

Maria da Conceição Tavares: condenou o desenvolvimento concentrador | Defendeu crescimento com renda para todos

legado de Maria Conceição

Referência do pensamento econômico desenvolvimentista, a economista Maria da Conceição Tavares morreu neste sábado aos 94 anos, em Nova Friburgo, onde morava com a família.

 In Memoriam

Redação: Don Oleari PN e Felipe Pontes – Agência Brasil – Brasília – https://agenciabrasil.ebc.com.br/

A causa da morte não foi divulgada. Ela deixa dois filhos, Laura e Bruno, dois netos, Ivan e Leon, e o bisneto Théo.

A economista se notabilizou pela defesa de uma sociedade mais justa e solidária e formou diversas gerações de economistas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade de Campinas (Unicamp).

Nascida em 1930 em Anadia, no distrito de Aveiro, em Portugal, ela migrou para o Brasil em meio à ditadura salazarista, em 1954, estabelecendo-se no Rio de Janeiro.

Naturalizou-se brasileira em 1957 e aqui desenvolveu uma extensa carreira como economista, sendo influenciada pelo pensamento de Celso Furtado, Caio Prado Jr. e Ignácio Rangel.

Maria da Conceição chegou a participar da elaboração do plano de metas do governo Juscelino Kubitschek e se destacou nos estudos sobre substituição das importações, tendo trabalhado na Comissão Econômica para América Latina (Cepal).

Publicou centenas de artigos e dezenas de livros, dentre os quais textos clássicos e considerados obrigatórios nos cursos de economia.

Um deles foi o famoso “Auge e Declínio do Processo de Substituição de Importações no Brasil – Da Substituição de Importações ao Capitalismo Financeiro”,  publicado em 1972.

Ganhou o Prêmio Jabuti 1998, na categoria economia.

Nos últimos anos, ganhou fama entre jovens nas redes sociais, com o compartilhamento de vídeos de entrevistas e aulas em que faz discursos enérgicos, em seu estilo franco e despudorado, sobre o processo de industrialização nacional.

Ela criticava, por exemplo, a política econômica do regime militar no Brasil. Chegou a ser presa por agentes da ditadura, por 48 horas, em 1974.

Teve grande influência sobre a elaboração do Plano Cruzado no governo Fernando Henrique Cardoso. Chegou a se emocionar durante entrevista em rede nacional de TV ao dizer que o plano foi o primeiro programa anti-inflacionário a não prejudicar o trabalhador.

Sempre buscou se posicionar, distanciando-se da neutralidade. Foi uma das principais conselheiras econômicas do PMDB no período pré-redemocratização, sob a liderança de Ulysses Guimarães. Após a morte deste, filiou-se ao PT, partido pelo qual se elegeu deputada federal (1995-1999).

Neste ano, ela foi homenageada pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), onde trabalhou, no contexto do Dia Internacional da Mulher.

“Ela foi muito importante para minha geração, para a luta pela democracia, para a discussão de um projeto nacional de desenvolvimento”, disse o presidente do banco público, Aloizio Mercadante.

Resumo

Maria da Conceição Tavares, economista e professora brasileira de origem portuguesa, reconhecida por sua significativa contribuição ao pensamento econômico na América Latina.

Educação

Nascimento: Maria da Conceição de Almeida Tavares nasceu em 24 de abril de 1930, em Anadia, Portugal.

Conceição Tavares iniciou seus estudos na Universidade de Lisboa, onde se formou em Matemática em 1953. Em 1954, imigrou para o Brasil, fugindo da ditadura salazarista.

No Brasil, começou a trabalhar como estatística no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Estudos

Economia: Após mudar-se para o Brasil, Maria da Conceição ingressou na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se formou em Economia.

Professora

Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP): Maria da Conceição foi uma das fundadoras do Instituto de Economia da UNICAMP, onde lecionou e orientou diversos economistas que viriam a ter um papel importante no cenário brasileiro.

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): Lecionou na UFRJ, onde se tornou uma figura central no Instituto de Economia. Além disso, trabalhou no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), onde desenvolveu pesquisas importantes.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES): Maria da Conceição trabalhou como consultora para o BNDES, influenciando políticas econômicas e de desenvolvimento.

Câmara dos Deputados: Em 1994, foi eleita deputada federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e exerceu mandato até 1998, período em que participou ativamente das discussões sobre a economia nacional.

Contribuições Intelectuais

Maria da Conceição Tavares é conhecida por suas críticas ao modelo econômico neoliberal e por sua defesa de um Estado forte e interventor. Ela é autora de diversos livros e artigos que influenciaram o pensamento econômico no Brasil e na América Latina.

Livros:

“Da substituição de importações ao capitalismo financeiro” (1983)

“Acumulação de Capital e Industrialização no Brasil” (1973)

“Desenvolvimento e Crise no Brasil” (1972)

Frases Célebres

  1. “O desenvolvimento econômico não é um estado de coisas, mas um processo.”
  2. “O Brasil tem que encontrar o seu próprio caminho de desenvolvimento.”

Legado

Maria da Conceição Tavares é uma das economistas mais respeitadas do Brasil, tendo deixado um legado profundo no campo da economia política.

Sua trajetória como professora e intelectual moldou gerações de economistas e influenciou políticas públicas no Brasil.

Maria da Conceição

Edição, Don Oleari – [email protected]

https://www.facebook.com/oswaldo.oleariouolearehttps://twitter.com/donoleari

Caixa bre cadastro para compra pelo governo e doação ao Rio Grande do Sul de casas de no máximo R$ 200 mil

Rio Grande do Sul: um mês de Desastre Climático e Recomeço | Uma retrospectiva deste dia 9 de junho de 2024

Danilo Leonel convida para ouvir Wander Miranda, Marral Lage, Maely Filho, Leandro Freitas, Vitor Escocard e seus sucessos

Rubens Pontes | Poesia: linguagem universal para exprimir emoções | A Lágrima, de Guerra Junqueiro

Só o Humor Salva! Do riso à resistência, o humor é arma contra a opressão e opressores

 

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados

A Bicharada do Don Oleari.