Quem somos[email protected]

Search

Fundada por jovem de 22 anos, Zé Coxinha quer faturar R$ 51 mi em 2023 e criar 67 lojas no RJ, ES e MG

zé coxinha

zé Coxinha

 Franquia Zé Coxinha está presente em três estados e projeta triplicar o número de unidades até o final do ano

Apaixonada por coxinha, como todo brasileiro, uma capixaba de 22 anos teve a ideia de unir essa paixão com o seu sonho de empreendedorismo. Em 2011, fundou a Zé Coxinha, primeira rede de vendas de salgados na caixinha do país. A sua meta era ter produtos de alta qualidade, muito saborosos e com preço acessível como grandes diferenciais para a sua marca.

Com o sucesso inicial do negócio, a empresa se uniu ao grupo Nazca Co – especialista em gestão e reestruturação de negócios – em 2019, com o propósito de profissionalizar ainda mais a marca, entrando para o mundo das franquias. O objetivo era atingir um número cada vez maior de clientes, por meio da rede de distribuição e lojas franqueadas.

A fábrica foi reformada e adaptada para atender as exigências legais de uma empresa de alimentação. Alguns produtos foram retirados do catálogo e outros acrescentados para atender as necessidades e aumentar o tíquete médio. Os produtos também foram reformulados, novas receitas foram criadas para melhorar a qualidade e o sabor. Foram investidos cerca de R$2,5 milhões para que a fábrica tivesse capacidade para abastecer as franquias, que já tinham uma alta demanda pelo formato inovador.

Hoje, a fábrica do Zé Coxinha ocupa uma área superior 1.000 m², produzindo mais de 20 mil salgados por hora. Todos os dias são usados mais de uma tonelada de farinha e 600 quilos de frango. São mais de 12 milhões de mini coxinhas produzidas por mês e a empresa tem capacidade de aumentar ainda mais essa produção. O controle de qualidade é aplicado a todos os produtos e os lançamentos só ocorrem depois de passarem por diversos testes que garantem o padrão e o sabor característicos da marca.

Contando hoje 40 unidades franqueadas, a rede Zé Coxinha diversificou os seus produtos e passou também a comercializar, além da coxinha, outras delícias que os brasileiros amam, como quibe, bolinha de queijo, pastéis, churros e outros salgados em miniatura. Vendidos em caixas de tamanhos e preços variados, que custam a partir de R$3,99, os salgados vendidos pela rede geram um excelente lucro para o franqueado. O segredo para que os preços dos produtos sejam os mesmos em qualquer unidade do país é o bom relacionamento com os fornecedores.

O nome Zé Coxinha veio da ideia de deixar a marca mais próxima das pessoas, como se ela fosse um nome próprio. E tem nome que seja mais a cara do Brasil do que Zé?

Para ser um franqueado do Zé Coxinha, a rede busca empreendedores que gostem de desafios, tenham foco nos resultados e consigam se dedicar na operação de sua unidade, além de disponibilidade para gestão do negócio, ser dinâmico, gostar de trabalhar em público e, acima de tudo, tenha comprometimento.

A empresa dispõe de inúmeras vantagens para os seus franqueados, como fábrica própria, baixo investimento e custo operacional, implementação ágil, operação simples, mix de produtos, suporte antes e depois da inauguração.

São oferecidos também treinamentos em todos os aspectos do negócio, apoio para implantação da unidade, acompanhamento da implantação por um consultor especializado, plano de marketing de inauguração, acompanhamento na inauguração e consultoria contínua ao negócio.

A empresa encerrou 2022 com 35 lojas e receita de R$18,4 milhões (distribuídos em rede e fábrica). Para este ano, objetiva a abertura de 67 novas unidades, chegando a 102 e faturamento anual de R$51 milhões.

RAIO- X da Franquia

Investimento Inicial: R$100 mil

Unidades em operação (próprias + franqueadas): 40

Taxa de Franquia: R$38 mil

Capital de Giro: R$10 mil

Fundo de publicidade: 1% sobre o faturamento

Faturamento médio mensal: R$48 mil

Royalties: 10% sobre as compras na fábrica do Zé Coxinha

Faturamento médio: R$500 mil/ano

Prazo de retorno: 12 meses

Duração do contrato: 5 anos

Rentabilidade: 15% a 20%

zé Coxinha

Edição, Don Oleari – [email protected]https://twitter.com/donoleari

Com informações de Mayara Passos

Independence Day | Escolha um vinho californiano para cada prato: cachorro quente, hamburguer, costela ao barbecue

Wimbledon 2023: veja os favoritos ao título da competição | Bia Haddad estreia nesta terça

Rubens Pontes: Sou Imigrante, de Moisés Tiago Antônio | Nomes que deixaram marca na nossa história

 

Picture of Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham

Posts Relacionados

A Bicharada do Don Oleari.