Alencar Garcia de Freitas: Eleição, vence-se ou toma-se? | Dá para confiar em promessa de políticos? | 3/11

alencar garcia de freitas
 Alencar-Garcia-de-Freitas.jpg

Alencar Garcia de Freitas

 

Alencar Garcia de Freitas – jornalista

 

Uma alta figura da República Brasileira teria dito, enquanto caminhava nos corredores do palácio em que dá expediente, inadvertidamente ou não, que eleição toma-se!

Ao abrir a boca e falar tamanho impropério, querendo ou não que isso fosse parar nas redes sociais, estava tornando claro o que se diz a boca pequena há muito tempo…

Na prática é o que realmente acontece uma vez que o candidato endinheirado só deixa de “tomar” a eleição do seu principal oponente se for por burrice, ainda mais se o candidato está na disputa em busca de sua reeleição…

Nas eleições do ano que vem, para presidente e governadores, por exemplo, alguns candidatos já estão em campanha há muito tempo…

Para presidente da República, por exemplo, os pretensos candidatos já passam de dez, de diferentes tendências, sendo que dois deles são os mais representativos, isto é, Bolsonaro e Lula, sendo que o primeiro, com a máquina do Governo na mão, tudo faz crer que estará no segundo turno…

No meu entender, voltando ao início deste texto, as autoridades de maior destaque nos três poderes da República deveriam ser bem mais cautelosas na hora de abrir a boca, lembrando sempre do velho ditado segundo o qual boca fechada não mosquito…

Se é verdade que eleição não se vence e sim toma-se, o ditado acima mais do que nunca deve ser levado a sério!

Alencar Garcia de Freitas é jornalista aposentado

Dá para confiar em promessa de políticos?

Na verdade não é só em políticos que não dá para confiar! A Bíblia (ó, eu de novo falando nesse livro…) diz textualmente:

“Maldito o homem que confia no homem”!

Mas, a bem da verdade, não é fácil acreditar em promessas humanas, sobretudo em se tratando de homens políticos promesseiros de marca maior, principalmente em ano pré-eleitoral…

Procuro me poupar o quanto posso de ficar muito tempo vendo e ouvindo os noticiários em geral e mais ainda notícias que dizem que o prefeito ou o governador prometeu, antes das eleições passadas, que resolveria, se eleito, certo problema da cidade ou do bairro e, eleito, nunca mais deu as caras, e o problema continua lá aumentado de tamanho…

Quem já não enfrentou algum problema desse tipo e o promesseiro (vereador, deputado ou cargo que o valha…) nunca mais deu as caras e tem a coragem de voltar e fazer a mesma promessa às vésperas das eleições do próximo ano?

Não sei se pelo fato de na velhice a gente ficar mais rabugento, tenho uma dificuldade muito grande de acreditar e confiar em promessas de maus representantes da classe política!

Talvez por essas e outras é que nunca quis ser candidato a nenhum cargo político, temeroso, por outro lado, de ser mais um a cair no valão dos promesseiros…

O grande problema é que o habitué de promesseiro sabe que não pode e não deve fazer certas promessas e mesmo assim promete com a maior cara de pau!

Alencar Garcia de Freitas é jornalista aposentado

Edição: Don Oleari

https://donoleari.com.br/

 

http://www.empresariocapixaba.com.br/index.aspx

Alencar Garcia de Freitas

Don Oleari Pesquisa

Se ouvimos tantas coisas ruins sobre a política, por que nos dizem que ela é tão importante?

Bom, apesar da existência de corrupção e de manipulação de ações para atender interesses específicos no ato político, temos que entender que esse quadro negativo só poderá mudar através da própria política. Isso porque a política é o instrumento de ação de transformação da sociedade.

Quem nunca ouviu na escola a frase: “o homem é um animal político”? Pois bem, quando Aristóteles declamou essa frase, ele quis dizer que todo homem precisa um do outro, que é da natureza humana viver em sociedade e que através da busca pelo bem comum é que se tem a constituição da pólis, ou seja, a cidade, o lugar onde é compartilhada a vida pública.

Portanto, podemos entender que política está relacionada com aquilo que diz respeito ao bem público, à vida em comum, às regras, leis e normais de conduta dessa vida, nesse espaço, e, sobretudo, ao ato de decisão que afetará todas essas questões.

Assim, o que distingue o ser humano das outras espécies é a sua capacidade de raciocinar. E foi por meio desta habilidade que ele compreendeu a importância da vida comunitária e de conviver nesse meio de forma harmônica.

https://www.politize.com.br/o-que-voce-tem-a-ver-com-a-politica/

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp
Don Oleari - Editor Chefão

Don Oleari - Editor Chefão

Radialista, Jornalista, Publicitário.
Don Oleari Corporeitcham